Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Runner Wannabe

Coisas da corrida de uma pretendente a corredora amadora.

Runner Wannabe

Coisas da corrida de uma pretendente a corredora amadora.

30
Nov16

Uma dobradiça empenada e uma salva de palmas!


Runner Wannabe

Costumo treinar à 3F, mas dado o estado em que terminei a demanda de Domingo...decidi dar mais um dia de descanso ao corpo. As expectativas não eram outras senão "deixa-me cá ver como o corpo reage e onde é que vai doer".

 

Como de costume, fui de bicicleta até ao local de treino, fiz uma pequena corridinha, fiz aquecimento e lá comecei o test drive. Em termos cardio e muscular estava tudo bem, apesar da menor disponibilidade muscular, mas nada de estranhar. E nem sequer tinha entrado no ritmo...pimba...o dói-dói no joelho deu sinal ao 1,5km! No painel das luzes de aviso só vi vermelho. Parei e desta vez nem refilei! Afinal de contas, 72 horas antes tinha corrido o máximo que alguma vez tinha corrido e ainda por cima forcei a dobradiça da perna direita, quando ela me pedia para parar! O Ego levou a melhor sobre o Joelho, mas como já tive oportunidade de dizer, sempre que me estico trago uma "medalha" - uma dobradiça empenada - consequência directa da "superação" de Domingo.  Foram 2 dias de dores que foram aliviando progressivamente, gelo, massagem, descanso, adiamento de um treino, treino esse que teve de ser encurtado! Hoje em vez da costumeira chapada na moleirinha, dedico a mim mesma uma salva de palmas a transbordar... sarcasmo!!!

 

 

Sabendo que não podia continuar a correr, saltei para cima da bicicleta e fiz talvez uns 3kms, não fiz mais porque o vento "ciclónico" que se fazia sentir, arrefeceu-me - eu realmente não estava vestida para bicicleta - tendo chegado a casa a bater o dente -  mas ainda dava para perceber que estava a tentar dizer asneiras!

Isto realmente hoje correu muito bem!

 

De referir que a dor no joelho só acontece a partir de determinada quilometragem (agora está quase nos 9km), mas não a sinto quando ando de bicicleta.

 

Balanço final

- 1,5 km corrida (anedótico)

- 3km + 3km (ida e volta) - bicicleta

- uma dobradiça a precisar de descanso

- abusa, abusa... depois queixa-te e mói as pessoas!!!

 

 

 

27
Nov16

10K já cá cantam!!!


Runner Wannabe

 

 É oficial, corri pela 1.ª vez 10km!!!

Apesar de ser Domingo - dia em que corro acompanhada - hoje corri a solo. A colega bem mais corajosa que eu, participou hoje numa corrida organizada...só com o dobro da distância!

 

O objectivo de hoje não estava bem claro, até porque tenho de esconder o jogo um pouco de mim mesma, não vá eu "sem querer"... sabotar-me! Uma coisa que tinha bem claro, era que independentemente da distância ou tempo, iria prestar atenção redobrada à forma como abordo o piso com o pé, para ver se páro de martelar o chão com os calcanhares!!! Por falar em pé, portou-se lindamente, aliás portaram-se os dois lindamente, que eu não quero cá cenas de ciúmes!

 

Não é fácil alterar uma dinâmica que nos é natural - apesar de errada - decidi que a cada 200 ou 300m, faria 100 passos a aterrar com o pé no seu ponto médio. Fiz isto duas vezes assim certinhas, depois fiz quando me lembrei...e depois deixei de me lembrar! Muito trabalho a fazer neste departamento!

 

Corri num percurso de cerca de 3Km - tipo pista -  dos quais 1km é terreno irregular com ervas pela canela ou mesmo até ao joelho e lama. Esse km é feito num ziguezaguear não muito pronunciado, mas constante, o que faz abrandar o ritmo...e onde torci desta feita o pé direito (não senti dor ou incómodo). É excusado dizer que fiz o resto do treino nos outros 2km que são de terra batida. Honestamente, não me apetece andar a coleccionar mazelas!

 

Do princípo ao fim, senti o gémeos da perna esquerda ainda a ecoarem as reclamações do treino de técnica de treino - aliás, hoje nem ousei tentar técnica de corrida! Esses exercícios ficam para outros treinos! Hoje era dia de "estender" a corrida.

A corrida correu bem, ao Km 7  senti que ía mesmo muito bem, a respiração estava calma e controlada,  o ritmo muito bom, cheguei a  pensar que podia correr assim por mais 5 ou 6 km! Ingénua!

 

Corri até ao fim da estrada e a meio caminho do regresso  fui interpelada por um conhecido, que pedalava com um grupo de ciclistas. Então como estás e quantos já correste? - perguntou com a pressa de quem não quer perder o pelotão.  Aos saltinhos disse-lhe a sorrir "não sei como estou" e olhando para a aplicação "olha, já corri 8,65km". Despedimo-nos e lá continuei... caraças, faltava menos de 1,5km para os 10km! Pois...mas tb tinha começado a sentir o incómodo no joelho direito, o sinal de que em breve começaria a doer. A dor não é repentina, é progressiva e geralmente deixa-me correr mais 1km, depois fica demasiado intensa e tenho mesmo de parar

 

A respiração e o coração estavam impecáveis, os músculos estavam a responder bem, percebi o que ía acontecer de novo - teria de parar forçadamente. Não corri mais de 100 metros depois de ter falado como o ciclista, quando a dor se fez anunciar - e desta vez  nem foi de forma muito mansa!  Abrandei a cadência e marquei no horizonte onde iria parar, independentemente da quilometragem. Já sabia o que aí vinha e desta vez vinha com pressa!!! Mais uma vez iría morrer na praia, a diferença é que desta vez iria-me ficar por terrenos ainda mais próximos da beira-mar!

Quando cheguei ao ponto de paragem tinha corrido 9,2km, olhei para a esquerda e depois para a direita, flecti o joelho mas a dor era intensa e resignei-me ao facto de que teria de terminar a corrida. Antes que arrefecesse iniciei o caminho para casa, que fica a uns 800m deste local de treino. Caminhei durante 3 minutos enquanto tentava encaixar a situação e nisto percebo que a dor começa a abrandar.... Hidratei-me, ajustei a mochila o melhor que pude, voltei a colocar a fita no cabelo e "raios me partam se hoje não faço a porra dos 10km!!! Já chega de esperar, #*$*%?/* !!!".

Meti pernas ao caminho e fiz o restante percurso, agora em asfalto. Quando estou a metros de casa, olho para aplicação "O quê, faltam 300m? Agora menina, vais fazer o resto da distância aqui mesmo na rua!" - no jeito ditador que me comandava há já alguns minutos. Dei 3 voltas à rua e sim, doeu! Doeu para caraças, doeu para cornos, doeu que se fartou e fartei-me de dizer asneiras!

 

Entrei em casa agarrada ao joelho e a morder o lábio. A aplicação marcava 10,01km em 1h:10':11''. Não morri na praia! Dei dois minutos a mim mesma, respirei, massajei o joelho e esbocei o sorriso  - de mim para mim. Tinha chegado à praia e ainda estava viva! Fui até à beirinha, molhei os pés na água desta praia simbólica. Por lá fiquei mais uns minutos de mãos na cintura,  a ver todo o mar que ainda tenho pela frente!

Alonguei gentilmente e analisei os tempos.

Próxima bóia: 10Km em estrada e talvez consiga retirar 5 minutos ao tempo de hoje! Logo verei se estou a ser ingénua... novamente.

 

 

24
Nov16

A técnica de corrida....levou-me a gasosa toda!


Runner Wannabe

 Andei a investigar acerca de técnicas de corrida. Depois de ver alguns vídeos de malta hiper bem-disposta e com níveis de fitness “vai lá vai”, decidi que também iria começar a fazer alguns desses exercícios que indicam produzir ganhos ao nível da postura,  biodinâmica e resistência muscular.

 

Escolhi os exercícios, tentei informar-me acerca da carga adequada...e lá fui eu toda lampeira para a sessão de hoje, a rever a cábula mental enquanto pedalava até ao local de treino.

Quase a chegar ao local, olho para cima e vejo aproximar uma mega nuvem, daquelas de pantone cinzentão carregado e carrancudo “ou sais da frente ou descarrego em cima de ti”. Como o local de treino não tem onde me pudesse abrigar, parei umas centenas de metros antes, junto a uma enorme buganvília – árvore ornamental – onde me abriguei parcialmente de uma chuvada. Passados uns 10 minutos a chuva parou, mas achei que aquilo era "sol de pouca dura" e resolvi esperar por mais uma descarga de água. Esperei, esperei e depois fiquei farta de esperar, até porque estava frio e eu já estava gelada....para variar! Lá pedalei os restantes metros até à linha de partida, de onde começaria o treino de hoje com uma rotina diferente! Tudo em nome de uma corrida mais eficiente!

 

Uma nuvem deste tipo mais mais escurinha!

 

Fiz uma pequena corridinha, aquecimento dinâmico e alguns exercícios para descontrair. Estava pronta para os exercícios de skipping (ver aqui). Ora...estes exercícios são executados com uma intensidade completamente diferente da corridinha maneirinha e lenta que costumo fazer nos treinos. Demorei 25 minutos a completar a rotina, fiz o melhor que consegui e dei o litro e mais uma pinga... por isso mesmo, suspeitei que os depósitos de  gasosa (energia) começassem a aproximar-se do vermelho...

 

A dona nuvem de aspecto resmungão, deve ter ficado curiosa com o que o pirilampo (eu de corta-vento amarelo fluorescente) andava a fazer aos saltos, tipo gafanhoto, lá em baixo, para trás e para diante, pois ali ficou parada, alimentando-me a suspeita que a qualquer momento seria regada!

 

Segunda parte do treino. Estava na hora de fazer uma corridinha! Arranquei no meu típico ritmo caracol e a primeira coisa que notei foi que estava a colocar o calcanhar no chão...mas assim em bom! Pareciam maaaartelos! Comecei de imediato tentar corrigir este aspecto, não fosse eu esburacar a pista! Acho que consegui corrigir a coisa....mas entre o achar e o corrigir.... Só sei que tenho mesmo de estar muito atenta a este aspecto!

 

Definitivamente estava sem a disponibilidade energética de outras vezes e as pernas começaram a pesar. Nisto, a dona nuvem desviou-se uma nesga e o Sol começou a fazer o que sabe fazer melhor, iluminar e aquecer....mas eu que estava vestida para chuva e vento! Se estava quente, mais quente fiquei....e nisto os gémeos da perna esquerda devem ter começado à batatada porque me começaram a doer. Parei, massagei, continuei, mas não lhes acalmei os ânimos. Decidi terminar a corrida por ali mesmo e quando olhei para aplicação que mede tempos e distâncias...nem 2,5km estavam concluídos! Disse 3 ou 4 palavrões, caminhei alguns metros a bater os calcanhares no chão, mas de zanga! Lá respirei, acalmei,  arrumei a tralha e foquei-me no duche quentinho pós alongamentos!

 

 

Balanço final

O pé não doeu, mas não sei como reagiu realmente à primeira parte do treino...é que ele costuma queixar-se a tarde e más horas. Por outro lado, não me apeteceu comprar uma briga com os manos gémeos. Espero que não seja nada que descanso não resolva!

 

Portanto: 3km de bicicleta (ida e volta) + 20' de técnica de corrida + 2,5km de corrida + uma dorzinha nos gémeos + pé não se queixou (até agora)....

Bem...pelo menos agora cada vez que fizer técnica de corrida...já sei ao que vou! :)

 

Quanto à nuvem....definitivamente estava de olho em mim e resolveu poupar-me! Parece ter esperado que o treino acabasse e que eu chegasse a casa para descarregar mais umas valentes pingas! :)

 

 

 

23
Nov16

Não estamos sós!


Runner Wannabe

Vivo num sítio onde...basicamente ninguém corre e onde a referida actividade tem mais ou menos o peso reactivo de um vírus que provoca gastroenterite...principalmente a enterite! Então quando me cruzo com um corredor quase que me apetece fazer uma festa! No Domingo cruzámos-nos não com um, mas dois!!! Foi lindo! A colega dizia em tom comovido “isto enche-me a alma!”

Acho que somos uma coisa tão rara por estas bandas, que quando vemos alguém da mesma "espécie", sentimos gratidão e sentido de pertença .... afinal não estamos sós!

 

 

E é nessa sensação que nos saudamos!

Pessoalmente prefiro sorrir (se conseguir) e acenar com o braço. É que uma vez ao saudar um atleta, em descontrolo respiratório - durante uma expiração ou inspiração forçada...não sei ao certo, só sei que era forçada - saíu um "bom dia" esquisito. Segundo a colega pareceu que eu estava com muitos maus-modos a cumprimentar o colega corredor....quando na realidade eu estava a tentar ser simpática, enquanto me esforçava para sobreviver ao descontrolo respiratório!

Honestamente? Aquilo pareceu o grunhido de um javali!

 

 

 

20
Nov16

Primeiro treino à chuva, finalmente!


Runner Wannabe

Finalmente um treino que coincidiu com chuva...e vento e frio! Foi melhor que a encomenda! :)

 

Silêncio que se vai correr

Como combinado, hoje o treino seria feito em silêncio. Ok, não foi em total silêncio, mas hablamos muito menos! E quem ganhou com isso? O controlo respiratório, claro! Praticamente não necessitei de fazer grandes reajustes à respiração. Durante a caminhada, aí sim, fomos conversando!

 

O pé

O pé portou-se bem, e sim, foi a medo que hoje corri. Não doeu durante aquecimento e só notei um desconforto lá para o final do treino. A sessão de hoje foi mais leve em termos de quilometragem (4km corrida mais 3km de caminhada), mas em condições um pouco diferentes do habitual (chuva, vento, terreno molhado). No final alonguei e continuei sem sentir dor. Pelo sim pelo não,  já fiz uma sessão de gelo... vamos ver como reage o pézinho ao longo do dia. Agora é ele que vai ditar quando será o próximo treino.

 

Frio

Eu normalmente arrefeço muito depressa, sempre fui assim. A título de exemplo, em dia de treino -após banho - tenho de vestir roupa muito quente porque o corpo teima em não aquecer. Gola alta e um saco de água quente costumam resolver a situação. Mas hoje pela primeira vez senti frio enquanto corria - coisa que nunca tinha acontecido antes - apesar do impermeável que vestia - talvez esteja na hora de vestir camisolas com manga.

 

Mete-nojo

Eu a colega cruzamo-nos com um praticante de motocross e logo a seguir com uma procissão de jipes. Então não é que tive um surto do Síndrome  corro-logo-sou-cagão/cagona! Ao primeiro levantei e mão...e não foi para lhe dizer adeus! Para os jipes...saquei do sorriso jucoso enquanto apontava para as minhas pernas, tipo...isto é que são máquinas! Enfim uma cena "mete-nojo" convidativa a umas valentes chapadas na moleirinha! É bem provável que eles tenham dito poucas e boas, mas não deu para ouvir...os vidros íam fechados, e aposto que lá dentro estava seco...e quentinho!

Ok...não se volta a repetir!

 

 Correr à chuva

 Andava desertinha para chafurdar na lama! Não foi isso que aconteceu, mas se continua a chover como está neste momento, em breve vai haver lamaçal por esses campos fora!

Correr à chuva é super-divertido! Sim ficamos encharcados, os pés passam a fazer chlóc-chlóc, as pernas ficam sujas de areia e/ou lama e quando nos despimos é para colocar a roupa directamente na máquina, nem sequer vai ao cesto da roupa!

Recomendo a toda a gente a experimentar correr à chuva! Se se sentirem felizes (ou lá perto), é porque está certo!

 

 

 

 

 

 

18
Nov16

Muro das Lamentações


Runner Wannabe

Pois é... pensava eu que a torcidela de Domingo (estava tão absorvida na paisagem que torci o pé), não tivesse tido consequências...mas teve!

É verdade que o incidente de que falo não me impediu de terminar o treino nesse dia (sem dor). Também é verdade, que durante o treino de 3ªF não experimentei qualquer sintoma de que algo não estava bem... até chegar à noite.

O primeiro sintoma: comichão. Exactamente, comichão!

Achei estranho, mas não associei de imediato ao pequeno incidente!

Durante o dia de 4F fui sentindo um desconforto, que passou a uma pequena dor. Foi quando me virei para a Matemática e juntei 2 + 2! O resultado foi "ou fortaleces todos os aspectos implicados na corrida, de forma a não fazeres lesões, ou vais fazer dói-dóis...muitos!". Epá...e se há coisa em que não tenho falhado é no aquecimento (dinâmico e só depois o estático) - antes do treino - e alongamentos  - após os treinos. E nestas rotinas foram incluídos exercícios que são considerados preventivos deste tipo de chatice....(não é chatice que me apetece dizer!!!). Ficou bem claro que aquecer e alongar não são suficientes, per si.

 

Hipótese: demasiada carga em pouco tempo e um não problema, tornou-se um problema - só espero que seja pequeno.

Não foi preciso pesquisar muito. Encontrei no Corre Salta e Lança informação vária e um esquema que me esclareceu! Fascite plantar ....bonito serviço! Não, ninguém morre disto... mas pelo que li, pode em determinadas situações ser mais chato que pastilha elástica na sola do sapato!

 

 

E não bastava já estar a lidar com o Síndrome de Banda Iliotibial, agora mais este petisco!

Ok, isto hoje é oficialmente o Muro das Lamentações....

Resultado: treinos cancelados, descanso, gelo e alguns exercícios.

Se alguém se cruzar com esta publicação e quiser saber de alguns exercícios, referenciados como sendo preventivos de fascite plantar, clicar aqui.

 

15
Nov16

Altimetria da minha paisagem mental - uma amostra


Runner Wannabe

 Hoje foi dia de corridinha. Uma insónia obrigou-me a adiar o treino, geralmente matutino, para a hora de almoço. Estava uma temperatura agradável, mas algum vento.

Confesso que expectativa inicial, era a de que as pernas não iriam responder aos comandos. Ainda assim, mentalizei-me que iria fazer um treino sem pressão, só para relaxar os músculos e sem forçar. Claro que uma pessoa não se mentaliza e pronto, já está! Na maioria das vezes é preciso dar uns reforços aqui e ali, não vá a motivação desvanecer ou o cenário mental mudar drasticamente do inicialmente previsto.

 

E como é que isso se faz? Bem, se vamos sozinhos...falamos connosco, num diálogo interno que por ser interno...tem quase toda a liberdade para expandir e divagar, em todas as direções.

 

Aqui estão algumas das coisas que a minha mente foi produzindo, durante o treino de hoje:

 

“Tem calma, corres o que conseguires, ao ritmo que achares confortável. É natural que os músculos não respondam, correste 7km há 48h"

 

"Este treino é para relaxar, só ísso, nada mais que isso"

 

" Atenção à postura"

 

"Não apoies o calcanhar no chão, isso é demasiado impacto"

 

"Respira, respira bem...isso, continua a respirar, vês é fácil!"

 

"Sim, vais a sentir-te bem, o corpo pede para correr mais depressa, mas vais acalmar ligeiramente o ritmo, senão esgotas...vá desacelera só um pouquinho"

 

"Oh tão lindo, são garças!"

 

"Porra está um calor que não se pode! Se não fosse este ventinho, já estava tipo maça assada!"

 

"Espero bem que o senhor do tractor me veja! Se não coubermos os dois na estrada, tenho que descer a valeta. Não queres trail? Ora aí tens!"

 

Será que o apoios estão a acontecer por baixo da anca? Tenho de me filmar a correr...aliás tenho de cravar alguém para me filmar a correr...devo estar cheia de sorte!”

 

“Olha...deixei de ouvir a minha respiração! Olha para ela! Sim senhora! Vá deixa-te de palermices e corre!”

 

Gaita, assim que virar, é vento contra durante 600m! Agora o ventinho já não é conveniente, né?”

 

Cum caneco vou ter que cuspir. Ainda não! O vento está contra!”

 

Espero não me dar vontade de fazer xixi, espero não me dar vontade de fazer xixi...espero não me dar vontade de fazer nada....esqueci-me dos lenços de papel!. Mas por acaso estás com vontade de fazer alguma? Não, pois não? Então cala-te!”

 

“Os cães não param de ladrar, ainda vou ter que sprintar à frente de algum! Como se eu conseguisse sprintar sem me engasgar com um dos meus pulmões!

 

“Boa, os braços vão descontraídos”

 

“Aquela nuvem é um bocado suspeita....”

 

“ E que tal hidratares antes de pareceres um bacalhau seco!”

 

 

Aqui está um pouco da “altimetria da minha paisagem mental ”, durante este treino. Estou quase sempre a tagarelar comigo mesma. Questiono-me, respondo-me, aviso-me, encorajo-me, critico-me, distraio-me, etc! Todas estas coisas servem para regular ou mesmo antecipar um comportamento. Toda a gente faz isto - em maior ou menor medida.  Em abono da verdade, também existem alguns períodos em que não vou a pensar em nada, mas são tão pouquinhos!

 

Quando treino acompanhada?  Segundo a colega, também não me calo - contudo acho que o grau de parvoíce baixa consideravelmente. Já combinámos fazer um treino....em silêncio - vai ser bonito vai! - mas antes, tenho de arranjar uma mordaça!

 

 

 

 

13
Nov16

Arame farpado em domingo primaveril


Runner Wannabe

 Último treino da semana... 7km de ronha (comparado com outros treinos)...

 

Em minha defesa: 1) vento contra - na ida - que parou quando devia ajudar - no regresso - e 2) os primaveris 23ºC que se faziam sentir perto das 12:00! (desculpas não é?!). Sim,  à hora a que a malta está a chegar das suas corridas e pedaladas, estava eu a começar!

 

Hoje, eu e a minha colega dos treinos domingueiros, fomos explorar uns caminhos pelo meio do campo....e de propriedade privada... Não foi de propósito... mas também não foi acidental. O que é certo é que estivemos em sítios muito bonitos que aqueceriam mesmo os corações mais gelados – até porque estavam 23ºC !

 

Pequenas retas, curvas e contracurvas suaves, subidas e descidas pouco pronunciadas, corremos por trilhos de lama e pedras ou de areia solta molhada pelas chuvas que caíram durante a noite. Todo o restante tapete que nos rodeava estava verdinho e até dava gozo tirar os olhos das pedras - com tamanhos suficientes para torcer tornozelos, o que acabou por me acontecer sem danos de maior – para apreciar a paisagem, à qual por uns minutos passámos a pertencer.

 

Eis que chegamos ao “fim-de-linha”...na realidade era uma vedação de paus tratados e arame farpado! Ainda pensámos que podia estar electrificada, mas não estava!!! Do outro lado, uma estrada familiar aguardava expectante para ver como é que aquelas duas marmelas, iriam saltar uma vedação de arame farpado sem fazer desenhos irregulares na carninha! Lá saltamos a vedação com muuuuito cuidado, por entre ameaças de “vou-te tirar uma foto nessa posição” e o medo de alguma ficar...agarrada pelos arames...literalmente! Prova superada e continuação de um treino menos atribulado!

 

Honestamente, adorei a pequena aventura ao mesmo tempo que fiquei a conhecer um trilho muito bonito e manso para as pernas -  em quintal alheio, é certo -  mas sobretudo fiquei feliz por não haver caçadores na área, manadas de bovinos a pastar e pela vedação não estar electrificada – nada descabido na referida zona. Também tenho a certeza que se que houvessem caçadores ou bovinos “ à solta”, eu e a colega teríamos feito a referida milha do percurso abaixo dos 4 minutos!

 

 

 

11
Nov16

Mais vale um outlier desfasado na mão, do que 3 comentários derrotistas atirados para o ar.


Runner Wannabe

 Isto de começar a correr não foi coisa publicitada, souberam algumas pessoas... outras viram-me em acção, pelo que os comentários/feedbacks que aconteceram foram caindo a conta-gotas. Apesar de terem sido mais diversificados, escolhi estes três a título de ilustração. As “respostas” aqui apresentadas, são o que acho que deveria ter devolvido - em directo - a alguns simpáticos interlocutores.

 

N.º 3 – Não tenho tempo para essas coisas...

 

Tempo? Mas correr é assim tão consumidor de tempo? É que eu corro 2 horas por semana, distribuídas por 3 sessões (30'+30'+60'). Passa menos tempo nas redes sociais a fazer posts de gatinhos (adoro!), a cortar na vida alheia ou a produzir selfies a irradiar felicidade e talvez arranjes tempo!

Correr não tem a ver com tempo, tem a ver com vontade...e um par de sapatilhas confortáveis!

 

N.ª 2 – Ai que horror, eu não aguentava!

 

Ok não aguentavas, mas não vamos fazer esta conversa em teu redor, pois não? Ou naquilo que achas que eras capaz ou não de fazer? E até podia desdobrar-me em dezenas de dicas para te provar que afinal, mesmo sendo um horror, aguentavas! Não, não vou gastar energia que depois me vai ser necessária nas pernas! Quem corre sou eu...e aguento! Está tudo dito!

 

N.º 1 - Não deves estar boa da cabeça!

 

Sim, não devo mesmo estar boa da cabeça, onde é que já se viu....começar a correr! Nos dias de hoje há algo de insano quando alguém muda para hábitos marginalmente mais saudáveis!...Acho que somos uma espécie de traidores, e eu não quero ser traidora, nem maluca! Tens razão, talvez seja melhor parar de correr e evitar que na realidade te sintas mal contigo mesmo...

 

O Outlier desfasado da realidade...

 

Durante um noticiário foram mostradas imagens sobre o Ultra Trail dos Pirinéus, que aconteceu no passado mês de Outubro.

 

Amigo: É isto que tu corres?! (pergunta com entusiasmo).

Eu: Não, isto é para quem treina muito! Já sou demasiado velha para chegar a este nível, pá!

Amigo: Não podes desistir, ouviste? Não podes!!! Mesmo agora vi ali uma velhinha que parecia ter 80 anos, toda equipada! Não podes desistir!!!

 

Passados 10 minutos...

 

Amigo: Quando eu for grande, podemos ir correr os dois ao estrangeiro ?

Eu: Pronto, está combinado !

 

Honestamente não sei qual dos dois estava a "viajar" mais!

O meu amigo tem 12 anos e uma crença incondicional - mas desfasada - nas minhas capacidades atléticas. Já eu...eu não tenho desculpa, mas sabe sempre bem "viajar" !

Mais importante que tudo, teve mais impacto a ingenuidade de uma criança, do que os comentários "realistas" de alguns adultos!

 

PS: Sim, também houveram comentários positivos e encorajadores, isto não é o muro das lamentações! Mas a esses, disse na hora o que pensava!

 

Eu na fase final de preparação para o Ultra trail dos Pirinéus 2050

       Eu na fase final de preparação para o

              Ultra Trail dos Pirinéus, 2050.

 

08
Nov16

Deixa para amanhã e faz em segurança, o que achas que podias fazer hoje mas arriscando-te a um dói-dói chato!


Runner Wannabe

 Há cerca de 1 semana completei um percurso com 8km – o máximo que alguma vez corri – ao fim dos quais parei por precaução, dado que comecei a sentir os sinais de uma limitação que me afecta o joelho. Senti que tinha energia e pulmão para chegar aos 10km, claro que ficaria com o Ego inchadote, mas o risco de lesão -  para corpos que não estão habituados e rotinados nestes tipos de esforços -  é enorme...já para não falar no factor idade, que também tem o seu peso nestas coisas!

 

É assim que tenho progredido sem me magoar demasiado, resistindo à tentação de tentar conquistar o meu “Evereste” temporário à 1.ª ou mesmo à 2.ª!  É que de todas as vezes que me “estiquei”, alguma coisa cedeu, e não vale a pena parar por mais 2 ou 3 dias (ou mais!), por causa da pica de superar um limite. É que quando se regressa de um sítio desses, até podemos trazer uma medalha no espírito, mas provavelmente também trazemos - ou agravámos - uma mazela no físico, que nos proporcionará encontros imediatos com o Sr. Gelo, o Sr. Voltaren e com Brigada dos Exercícios Específicos e Alongamentos. Depois quando se volta a meter o pézinho no chão, é a medo....não vá fazer dói-dói outra vez!

 

Sim, este discurso não tem nada a ver com aqueles vídeos motivacionais com músicas épicas e imagens cirurgicamente escolhidas, em que vemos super atletas a correr escarpas acima, fazendo-nos duvidar do trabalho de Newton (tipo isto: https://www.youtube.com/watch?v=odOJE0tneto - por uma razão alheia, não consegui carregar o video)

 

Resumindo, isto é o discurso pré-quarentão com a seguinte entrada:  "deixa para amanhã e faz em segurança, o que achas que podias fazer hoje mas arriscando-te a um dói-dói chato!

 

    

 

Pág. 1/2

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D