Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Runner Wannabe

Coisas da corrida de uma pretendente a corredora amadora.

Runner Wannabe

Coisas da corrida de uma pretendente a corredora amadora.

27
Set17

Corrida do Tejo - A minha primeira corrida!


Runner Wannabe

 

Para quem não sabe, comecei a correr há 13 meses. A viagem não tem sido pacífica – quem por aqui passa, sabe que lesiono-me com (muita) frequência, aliás metade deste tempo, estive encostada no estaleiro. Este pára-arranca constante, é desgastante sobretudo do ponto de vista psicológico.

Tal é (espero que termine o ciclo), a frequência com que me lesiono, que nunca deu tempo para me preparar a preceito para uma corrida! E... voltei a lesionar! Todo o esforço estava a ir por água abaixo! O filme estava novamente a acontecer, com a agravante que me tinha inscrito numa corrida, e nela depositado todas aquelas coisas que depositamos aos ombros das “primeiras vezes”!

 

Estava a treinar com regularidade, sentia-me em forma, fiz alguns treinos promissores e decidi abrandar a carga durante a última semana de Agosto, para em melhores condições aprimorar alguns detalhes nas primeiras semanas de Setembro...e lesionei-me!. Inicialmente não sabia se iria demorar 2 ou 3 dias ou se 2 ou 3 semanas. Nos primeiros dias de paragem melhorei, fiz um treino experimental de 2km, que não despertou sintomas -  as coisas pareciam encaminhadas - mas passados 2 dias....todas as melhorias tinham regredido furiosamente.

 

Decidi ir ao osteopata, como explanei na publicação anterior, tendo saído do consultório, a ver uma luz ao fundo do túnel. Segui as instruções à risca, incluindo telefonar a relatar como me tinha sentido durante os treinos, de modo a saber se seria necessário intervir novamente. O 1.º treino – após endireitadelas – foi no sábado dia 16. Parei aos 1,5km, para não exacerbar os sintomas que pareciam querer marcar presença. Dois dias depois, 2.ªF, dia 18, corri 3,5km e parei pelas mesmas razões do treino anterior, mas até animei, afinal corri mais do dobro da distância! Decidi fazer um último treino, na 5F dia 21. Sabia que era difícil duplicar a distância, mas se conseguisse chegar aos 5km...talvez com 3 dias de descanso (até dia 24), estivesse em condições mínimas de chegar aos 7km, durante a Corrida do Tejo...e na restante distância...caminharia! Corri neste último treino 4,5km e parei porque comecei a sentir os sintomas, contudo quando analisei o ritmo (lento), pensei que se ainda abrandasse um pouco mais, chegar aos 7km deixasse de ser muito, muito difícil, para passar somente a, difícil.

 

Foi a partir deste treino que saíram da minha esfera de hipóteses-minimamente-concretizáveis, a sombra da possibilidade de conseguir concluir 10km, em corrida. Se conseguisse chegar aos 7 a um ritmo de 7:30min/km, os restantes 3 caminhava a 10min/km! A estimativa de chegada à meta era de 1h:45...

E assim se instalou uma monumental birra!

 

 

Foi nisto que pensaram? Acham mesmo que podia fazer aquilo às pernas?

Quem me dera!

  

Birra, mais birra e mais birra. Não atazanei muito (pouco) a vida dos que me rodeavam, mas eu própria estava farta do desalento, até que me conformei à condição e lá me consegui acalmar. O desalento esteve sempre presente, o que mudou foi a zanga, já não estava zangada – sabe-se lá com quem - era só uma ansiedade para que tudo terminasse o mais rápido possível.

 

Uma amostra do estado de espírito na tarde de Sábado.

  

João: Como te sentes para amanhã?

Eu: o saco está feito. Fi-lo para não pensar mais em amanhã.

Não estou ansiosa que chegue a hora, estou ansiosa para que termine!

Para os 10...só um milagre!

João - Ansiosa que termine?!? Desfruta de tudo, tira prazer do que conseguires. Faz do dia um marco na tua carreira. É a tua primeira de muitas provas. Aproveita!!! (…) Milagres em corrida não seriam os primeiros nem os últimos...

Eu - Vou aproveitar o que conseguir, aproveitar. Não tenhas duvidas que farei o melhor que me for permitido, mas estou lixadíssima por não poder deixar lá a pele!

João - Uau... já vi ca birra continua. Hoje és esta!

21942082_1684721724902537_2063623492_n.jpg

 

Eu - percebes porque quero que termine? Para me passar a birra!

João - Posso fazer uma previsão?

Eu - Diz Nostradamus...

João - Aqui o Nostradamus diz que vais acabar assim:

 

21935539_1684726324902077_981588334_n (1).jpg

 

Tinha chegado o dia... 

 

 Acordo pelas 6:00 de Domingo, o comboio seria 1h:30 depois... mas tinha de dar tempo ao meu corpo, de deixar em casa coisas que só iam fazer peso se as levasse! Entenderam né?

 

Saí de casa pelas 7:00h, o  nevoeiro cerrado, que engolia tudo, só acentuava um estado meio melancólico-enjoadote e nem o atraso do serviço da CP ,que me levaria até Sta. Apolónia, me tirou do sério...como de outras vezes!

Contudo, este atraso foi o suficiente para ter de alterar a hora de encontro com o João Lima, que me iria entregar o dorsal. E eu continuava estranhamente calma, logo eu, que não reajo muito bem a atrasos, meus e alheios!

Sigo de metro até o Cais do Sodré, e é já dentro do comboio rodeada de corredores, que começo a sentir um burburinho dentro de mim (não, não eram gases! Esse assunto já tinha sido despachado!).

Saio em Algés e começo a atravessar uma massa humana vestida predominantemente de amarelo. Sinto o cheiro a licra, sinto o cruzar de perfumes ampliados pelo calor dos corpos que aqueciam (lá mais para a frente...não há perfume que resista!), vejo gente, muita gente e pensava “boa...onde te foste meter!”.

 

Localizo o João, que me entrega o dorsal e me apresenta um conjunto de amigos que me parabenizam antecipadamente pela minha primeira corrida...e eu a pensar que só me aguentaria até ao km 7!

Coloco o dorsal, atabalhoadamente...ficou mais ou menos bem... à segunda tentativa! Aquilo são só 4 alfinetes, não é? Pois...

 

Corrida do Tejo 2017  - 1.jpg

Para a posteridade, aqui está a foto.

O João Lima (o padrinho), eu e o meu dorsal mais ou menos bem colocado! 

 

Comecei a sentir o tempo a correr de outra maneira, comi um snack . Sim, sensivelmente 40 minutos antes de começar a minha corrida, estava a comer! Tinha tomado o pequeno almoço muito cedo e caso não ingerisse mais qualquer coisa, ficaria sem “gasosa” a meio da corrida e já me bastavam as outras limitações!

Bem dita banana e cubo de marmelada!

 

Vi a Fabiana Fão e o seu M.! Trocaram-se algumas palavras e desejos de boa corrida!

 

Depois de entregar o saco no bengaleiro (que óptima ideia!), sigo para junto do grupo, mas o burburinho aumentava e com ele veio a vontade de fazer xixi...

Bela fila, sim senhora! Pareciam que estavam a dar pastéis de Belém e cafés, ambos quentinhos!

Havia malta a aquecer de um lado para o outro, mas os da fila para as casas-de-banho ou estavam muito quietinhos, ou estavam com aquele nervoso miudinho de “ai que eu já não me aguento e rego isto tudo à minha volta!”. Ok, estes eram uma minoria! A maioria estava no relax à espera de fazer o xixi profiláctico! 

 

Demorei tanto tempo na fila, que segui logo para a minha caixa de partida, não fossem eles antecipar a partida e eu ficava em terra!(brinco, ok?). Já não tive tempo de desejar boa corrida ao grupo que me recebeu,fui simpática não fui?

Nada como as primeiras impressões!

 

Revendo o plano enquanto seguia para a caixa de partida. Corres devagar, muito devagar, para aguentar até 6 ou 7, depois logo se vê.

 

Tinha decidido partir a frio, isso é, sem corridinha prévia, mas quando dei por mim, estava rodeada de tanta gente que até um aquecimento à bacia corria o risco de parecer que assediava o corredor da frente, me oferecia ao de trás e ainda chamava a atenção aos corredores dos lados, para o lindo espectáculo! Desisti da ideia...a minha bolha de espaço interpessoal, encolheu quase para a pele!

 

Pessoas a falar dos tempos, dos feitos do passado, das expectativas, das lesões, dos treinos, das paragens, da temperatura...aqui já não havia muito perfume. Por vezes sentia o cheiro típico de pomadas analgésicas e a pensar...se calhar também deveria ter aplicado alguma...

 

Saem as gazelas da 1.ª vaga.

Começo a sentir o Sol a castigar-me um pouco as costas. Ainda tentei meter-me na sombra de corredor de trás...mas ele era baixote...baixote mais cheio de aço...com um tempo de 45 min aos 10km e sem treinar há duas semanas apontava para um tempo de 47 e picos... e eu que só queria chegar a correr aos 7km...

 

E partiu a 2.ª vaga...

Sabia que daí a 5 minutos partiria a 3.ª vaga.

Voltei a acalmar... e não sei por onde andou a minha mente. Olhei para o céu, logo acima das cabeças do mar de gente que tinha pela frente e não pensava em nada. A minha respiração ficou lenta e profunda e ...começo a caminhar, nem sabia se já tinha sido dada a partida, se aquela massa humana tinha somente decidido começar a mover-se!. Com o aproximar do pórtico da partida, preparo cronómetro e pouco depois estava a correr devagarinho, estava a aquecer e ia-me resguardar o melhor que conseguia!

Apesar de arriscado, acho que fiz bem em gastar o cartucho do aquecimento, na corrida.

 

Não aceleres...não aceleres.... respira....não aceleres.... respira...isso, vais bem, vais a correr...respira... não aceleres. Ena tanta gente! Toda a gente me ultrapassa...respira...não aceleres...isso mesmo! Vamos...calma...respira...mas quem é que vem para uma corrida destas de calças e camisola com mangas? Respira e não aceleres... ena que bronze!...respira...será que fechei as portadas, será que desliguei o ferro?...respira se faz favor...

 

Foram 2km nisto,  a um ritmo de 7:19 min/km. Tinha de abrandar mais 10 segundos, aproximava-se uma subida...ia abrandar de certeza! Primeira subida, vamos a ela, o ritmo diminuiu como previsto, encurtei a passada, aumentei a cadência...subida feita! Já molhava o bico com qualquer coisinha, por esta altura!

 

O ritmo já não me preocupava, não o alterei muito. Lá o ia confirmando ao passar de cada km, estava a rolar um pouco mais rápido, mas nada de extraordinário. Não tinha com que me preocupar, algo iria acontecer algures entre o km 6 e 7...portanto, era ir indo até lá!

 

E algures ao km 6 aconteceu realmente uma coisa, mas não o que eu esperava.

Ao ultrapassar um corredor, dei conta que levava a respiração completamente descontrolada, a sua postura era a de quem ia agarrado por arames e sem saber porquê, abeirei-me dele e disse-lhe “anda, eu levo-te”, não sei de onde veio aquilo, juro! Fiquei ao lado dele por uns minutos, ele recuperou e seguimos lado a lado por algum tempo. Houve momentos em que fiquei um pouco para trás, houve momentos em que ele ficou um pouco para trás, lá nos íamos controlando mutuamente olhando por cima do ombro, sempre que seguíamos na frente. Não dissemos nada um ao outro...parece que nenhum se podia dar a esse luxo!

 

O 2.º abastecimento foi providencial...bebo 25% da água e despejo o restante...excusado será dizer que já ia completamente ensopada -  e sentia este peso extra - mas era tão bom deixar a água refrescar as caldeiras!

 

E eis o km 8...hum? Quilómetro 8? Olho para o relógio e continuo estável, cansada...naturalmente, a falta do cardio estava-se a fazer sentir! Balbucio entre duas expirações ruidosas qualquer coisa como “são só mais 15 minutos disto!” O meu Sancho Pança ou D. Quixote, sei lá, sorriu...talvez tenha sido mais um esgar que um sorriso, mas que eu interpretei - ou quis interpretar - como “estava a ver que isto nunca mais acabava!”.

 

Começo a perceber que o impossível...pode ser possível ...e os milagres na corrida, acontecem! E...a meio do km 8 começo a sentir o joelho direito a começar a doer.  “Agora não, agora não, agora não...só falto um bocadinho...vamos...certinha, direita...respira...ok...abranda um pouco e mantém...mantém...”. O meu camarada de viagem ganhou uns 3 o 4 metros, foi olhando por cima do ombro para ver se eu ainda lá estava...e aparece o km 9. Já se viam as barreiras que separava a zona da chegada dos ainda largos metros, até à rotunda! Começo a ouvir bombos...por momentos pensei “ já estás a ouvir coisas, tás cansadota, não é?”.

Por entre os incentivos dos finishers do outro lado das grades e com o aproximar da rotunda, o som tornou-se mais nítido e um fôlego marcado pelo ritmo da percussão oxigena o que ainda recebia oxigénio. Faço a rotunda e não sabendo se fiz aqueles metros com um sorriso parvo estampado...lembro-me de ter sorrido e de estar mentalmente a agradecer a desconhecidos, que aplaudiam e incentivavam os últimos metros daquela demanda! Tenho a noção que acelerei um pouquinho e pela primeira vez, cortei uma meta, de uma corrida que fiz a correr do princípio ao fim!

Foi a minha primeira corrida! :D

Paro o cronómetro e não me recordo o que fiz primeiro, se foi ver o tempo, se foi procurar o meu desconhecido companheiro de corrida. Coloquei-lhe a mão no ombro, ele virou-se, dei-lhe um aperto de mão e disse-lhe “boa corrida”, com uma voz trémula, daquelas que adivinham um pranto compulsivo, mas lá me aguentei! Ele disse “sim” e outra coisa qualquer, que não entendi, mas não faz mal!

Caminhei um pouco e dirigi-me para o local de encontro com o padrinho, a quem eu avisara que se ficasse à minha espera, corria o risco de esperar muito tempo!

 

Enquanto me colocava nas filas para a “cerimónia de entregas de medalhas de finishers”, olhava para o relógio...incrédula, completamente incrédula...o meu cronómetro marcava 1:11:55!  Quando acordei deste transe tinha uma medalha ao peito, uma maça numa mão, uma garrafa e um montão de panfletos, noutra!

 

Dirigi-me ao local de encontro, o padrinho recebeu a afilhada de braços abertos e sorriso estampado! Eu sorria...e abanava a cabeça, enquanto tentava perceber o que tinha acontecido!

E a verdade é que ainda não percebi!

 

De tão “noutro mundo” eu estava, que nem sequer perguntei ao padrinho, como tinha corrido a sua prova, como se sentia, que tal de tempo...sabem aquelas coisas normais que os corredores, perguntam uns aos outros? Pois...eu estava numa galáxia far far away...Mas lá despertei para a realidade, quando um amigo lhe fez essas perguntas...ups! Lá me desculpei com o candor possível...mas acho que ele fez o desconto...e perdoou!

 

Seguiu-se a foto para a posteridade em que exibo a medalha, uma maça e um ar de o-que-é-que-aconteceu, aliado a um baixíssimo IF (Índice de Fotogenia). Pois... até se tentou uma segunda foto...mas garanto, está igual! Obrigada pelo esforço, João!

Corrida do Tejo 2017 - 4.jpg

 

Ok, era hora de rumar até à Piscina Oceânica, onde iria tomar um duche misericordioso...e quente! Que ma-ra-vi-lha!

Iria regressar a casa de comboio e não queria empestar as carruagens!

 

Despachei-me em poucos minutos e rumei à estação de St.º Amaro, pelo passeio marítimo de Oeiras, na companhia do padrinho, que aguardou mais uma vez por mim! Já mais relaxada e por entre conversas e histórias sobre corrida, surgiu o convite para correr pelos 4 ao km! Pessoal...vamos lá ver se me consigo explicar, fazendo justiça ao que aconteceu! Gaguejei, hesitei...acho que o tentei demover, mas aparentemente sofro de um viés pouco abonatório, quando a mim me refiro! Lembram-se da profecia da minha chegada, que seria a sorrir? Talvez tenha mesmo poderes adivinhatórios e veja o que eu ainda não alcanço!

Aceitei o convite, sou corredora dos 4 ao km!!!

Bolas...cresci uns 10cm!!!

Agora, é fazer o melhor que consigo, a cada circunstância, mesmo não sabendo o que isso possa ser!

Fiquei sem muitas palavras, oh dia intenso com direito a cereja no topo do bolo!

 

Não consigo descrever o percurso,apesar da Marginal ser lindíssima. Lembro-me sobretudo das algumas pessoas que no meio do nada estavam a apoiar os corredores! Lembro-me de um menino de talvez 7 anos gritar para dentro do pelotão  "tia, tia, tia!" e uma corredora sair disparada para abraçar o miudo que estava frenéticamente contente! Lembro-me dos cartazes motivadores, das vozes de incentivo...que apesar de poucas ao longo de 10km, não deixaram de se fazer ouvir!

Obrigado público fã e apoiante de corrida!

 

A minha viagem de regresso iniciou-se na estação de St.ºAmaro. Estava de coração tão cheio que nem sabia como reagir – típico, tão típico! Mas logo, logo torci o nariz! A malta que regressava agora a Lisboa, começou a lotar os comboios da linha de Cascais. Mal consegui entrar numa carruagem, pois praticamente todo o espaço útil estava ocupado por corredores...transpirados! Uma coisa é quando estamos nos outdoors....mas nos indoors, fechadinhos e a partilhar aquele calor humano! Ui!

 

As restantes etapas até casa foram pacíficas, de assinalar somente a travadinha que me deu em St.ª Apolónia, sentada num banco de madeira, enquanto esperava por mais um comboio. As lágrimazitas que não deixei que caíssem anteriormente, encontravam agora um salvo-conduto, rosto abaixo.

Tinha  finalmente feito a minha primeira corrida!

Agora já me sentia corredora!

E estava nos 4 ao km!

 

Dadas as circunstâncias, melhor era impossível! Esperem... não há impossíveis em corrida!

 

João, obrigada por todo o apoio!

 

 

Resultados:

Tempo de chip: 1:11:52

Tempo aos 5k : 37.10

Km mais lento: 9

Km mais rápido: 10 (eh eh...nada como ver uma meta, para acelerar o passo!)

 

 

Boas corridas!

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

24
Set17

Promessa de relato sobre a minha primeira corrida.


Runner Wannabe

Caríssimos

 

É com o discurso toldado, que escrevo estas linhas para vos dizer que terminei hoje, a minha primeira corrida - Corrida do Tejo. Esta corrida foi completada em  1:11:52 (tempo de chip), sempre em corrida, sem paragens e sem caminhada, contra todas – mas mesmo todas – as minhas expectativas! Depois explico tudo, explicadinho.

 

Estou...surpresa, contente e perplexa...e vou deixar o relato da minha primeira corrida, para um momento em que consiga pensar com maior clareza. Neste momento sinto coisas, balbucio algumas palavras, só me apetece comer.... tenho flashes da corrida e depois dá-me fome outra vez!

 

A todas as pessoas que me apoiaram, que me incentivaram e que aturaram a minha birra de 3 dias (spoiler) - e em todos os outros dias também! -  o meu sentido agradecimento e admiração! Foram uns bravos!

 

Um destacado agradecimento ao colega de equipa João Lima (fui subtil?) que estando longe, acabou por estar perto, quando ele próprio estava num “aperto”!

 

Parabéns para mim, que me surpreendi! (Estou a dar uma palmadinha nas minhas costas)

 

Até breve e boas corridas!

 

 

13
Set17

Desafinados!


Runner Wannabe

Eu não percebo nada de música... nem de fisiologia, mas cada vez que penso na forma como o corpo humano funciona, comparo-o a uma orquestra...mais ou menos afinada - consoante o caso!

 

 

Por causa de alguns instrumentos, a minha orquestra está desafinada. E o que se pretendia que produzisse umas melodias mais ou menos agradáveis, na realidade começou a produzir...ruído!

Tive de parar os ensaios e levar os ditos instrumentos às oficinas próprias, de forma a serem tratados e afinados a preceito.

 

Nomes dos instrumentos?

Sacro, bacia e psoas!

 

 Esta figura mostra o referido trio. Uma atenção para as figuras que ilustram

alongamentos ao psoas. Foi-me recomendado o da figura b.

 

 

Ao que parece, o sacro desafinou e acabou por arrastar a bacia e o psoas, na sua cantiga...

 

A história é longa e cheia de termos técnicos e eu não consigo reproduzir aqui de forma fiel, o que me foi dito.

 

Passemos à parte mais importante:

 

Depois de algumas torcidelas e estalos...

 

 - Doutor...posso continuar a correr, certo?

 - Sim, mas temos de esperar uns dias para ver como o corpo vai reagir.

- Quantos dias? - perguntei a medo.

- Lá para Sábado.

- Este ou o da próxima semana?

-Este.

 

E o Sol voltou a iluminar-se!

 

 

 Boas corridas!

 

27
Ago17

88 minutos e 44 segundos!


Runner Wannabe

Esta semana de treinos encetou com ...bicicleta. Ah pois! Dei o litro e uma pinga no treino de Domingo e achei melhor poupar-me um pouco!

Dei uma voltinha pequena (9km), só para aquecer, transpirar e preparar-me para uma sessão de reforço muscular, que acabou por ser muito light! (ando-me a baldar um bocado...ai, ai!)

 

Decidi que esta semana seria para correr em ritmos mais lentos. Andei-me a esticar (nos ritmos), nas 2 semanas precedentes e achei que devia meter mais alguns quilometros nas pernas, mas sem grandes pressas.

 

O primeiro treino de corrida aconteceu portanto na 4F. Como tinha descansado mais, experimentei fazer mais quilometragem para um 1.º treino -  de corrida -  da semana. Foram palmilhados 8km a 6:54min/km.

Tendo em vista esticar a quilometragem para 14km, no longo (e lento) de Domingo, o treino de 6F foi planeado para 6km a 6:50min/km, mas... distraí-me e acabei por fazer 7km a 6:42min/km. A diferença não é muita, mas a preocupação estava no facto de me resguardar na 6F, porque geralmente este dia, é o primeiro dos dois dias de descanso que antecedem qualquer treino longo que faça.

 

Domingo dia de longo.

Tinha alinhavado o plano de esticar a minha distância máxima para 14km – daí ter feito treinos lentos durante a semana. Mas no sábado volto a sentir uma dor na lombar e pensei em encurtar o objectivo, para algo menos ambicioso. Contudo, as indicações na madrugada de Domingo, antes de iniciar o treino foram boas, e lá me fiz ao treino.

 

Se geralmente me queixo que o meu 1.ºkm é muito lento, desta vez isso não era problema! Aliás, o problema foi mesmo em não conseguir manter uma cadência mais lenta, depois de estar “quente”! Tive a sensação que durante uns 3km ou 4 km, corri aos solavancos! Quando descontraía, acelerava, quando dava por ela, lá tinha de meter travão na coisa e regressar a um ritmo mais lento...Fisicamente isto não me apoquentou, mas obrigou-me a estar atenta o tempo todo, porque senão lançava-me! Neste sentido, desgastei mais do ponto vista mental do que do muscular!

 

Para “apimentar” a coisa, aos 7km começo a sentir uma dorzinha. E se suspeitava que a dor na lombar podia aparecer...surpresa...foi a anca a dar sinal, novamente! Honestamente, não sei se se trata mesmo da anca e se a dor é mesmo na articulação. Mas dados os "puxões” das últimas duas semanas...não fico demasiado surpreendida com algum sintoma mais dorido!

E se aos 7km a dorzinha apareceu, só desapareceu quando parei aos 12km. Decidi que iria ficar pela dúzia e parar de forçar algo, que já dava sinal há algum tempo!

Se sentia condição para continuar por mais 15 minutos e chegar aos 14km? Sim, mas também senti que já tinha abusado demasiado!

 

Os 12,14km demoraram 1h:28min:44 seg. a serem palmilhados (7:18min/km).

Nunca corri tanto tempo seguido!

Foram 88 minutos e 44 segundos!

Quase uma hora e meia, sem parar!

 

                                                                       A comemorar...

 

 

(and...back to normal!)

 

Que fique registado que é super aborrecido correr a um ritmo mais lento do que o habitual...mas não tenho escolha, se quiser alargar as distâncias!

 

Espero que esta dorzita passe, mas por agora não planeio fazer mais “doideiras”, até porque no final de Setembro - se não houver nenhum contratempo – vou fazer a minha primeira corrida!

 

 

Trata-se da Corrida do Tejo, corrida que me foi recomendada há vários meses.

Com dorsal 47XX, alinharei junto dos “tudo-ao-molho-e-fé-em-Deus” - não, não é uma equipa, mas não deixa de ser um nome interessante – por outras palavras, malta que não tem tempo oficial inferior a 60´.

 

 Só no fim de ver o vídeo promocional é vi no que me vou meter!

Imensa gente...e eu habituada a correr sozinha!

Eh, eh...vai ser bonito vai!

 

Até lá, vou tentar treinar com algum juízo!

 

Boas corridas!

 

21
Ago17

Duplo treino, duplo recorde!


Runner Wannabe

 

No post anterior:

Terminei o treino com o tempo final de 1:05:44, retirando 2min e 8seg ao anterior tempo, aos 10k! :)

Fiquei super contente por ter feito um tempo melhor, que acaba por valorizar ainda mais, tendo em conta que não descansei nos dois dias anteriores, como faço com qualquer treino longo!

Como as minhas reacções passam por todo o espectro do 8 ao 80...

 

Tinha baixado o tempo aos 10km, em condições desfavoráveis.

E em condições normais, como teria corrido?

 

Iniciei a semana de treinos, com o costumeiro treino de 3F, que ao invés do programado, aconteceu no final do dia. Pastelei durante 3km! Os meus objectivos eram vários: acabar de diluir o cansaço muscular; monitorizar a região da anca (que tinha dado uns “sinais” no treino de Domingo) e aquecer para fazer uma sessão de reforço muscular e alguns exercícios de flexibilidade. As pernas bem que começaram a acelerar durante a corrida, mas não as deixei embalar. Pastelar era a palavra de ordem! E tanto pastelei que até senti sono, acreditam? Eu bocejei enquanto corria! Depois lá acordei com a sessão de reforço muscular, que foi puxadinha, tanto que no dia seguinte ainda sentia alguns dos seus efeitos!

 Eis alguns dos exercícios que faço:

                                                                  A cara de felicidade desta senhora...diz tudo!

 

 

                                                                      Agora até já atino melhor com este.

 

                                                                       Este não faço, só de ver dói!

                                                                             ( Coloquei só por causa do efeito dramático!)

 

Chega a 5F...e o treino e o sismo que toda a gente sentiu, menos eu!

Por essas horas andava-me a arrastar por uma ciclovia, colocando a seguinte legenda a cada passo que dava: “tirem-me deste filme!”.

Físicamente sentia-me demasiado cansada. Cheguei a pensar que ainda eram efeitos da sessão de reforço muscular, mas acabei por descartar a hipótese e lá me apaziguei com um “pronto, hoje não era o dia!”

Mas do que é que ela (eu) não se lembrou de equacionar, foi do efeito de um comprimido para dormir que tinha tomado no dia anterior! Pois é!

Andava a dormir mal desde Domingo -  talvez por isso tenha bocejado durante o treino de 3F, ao final do dia - e com receio de não conseguir dormir devidamente de 4F para 5F, tomei um comprimido para dormir, que apesar de fraco, acaba por fazer bastante efeito, em quem não os toma com frequência.

O treino cifrou-se em 6km a 6:40min/km, mas aquilo foi muito difícil do princípio ao fim. Muito provavelmente ainda estava sob o efeito do relaxamento muscular, que estes medicamentos provocam.

 

Restava o treino de Domingo para fechar o saldo da semana, que estava em 9km de pastelice e...efeitos secundários de medicamentos!

 

Bem, a verdade seja dita, estava descansada muscularmente, o que me dava alguma margem de manobra para ser criativa no treino de Domingo. Apenas duas coisas me preocupavam: uma dorzinha na zona lombar, que sentia desde 5F e o calor imenso que estava previsto para Domingo.

 

Para evitar o calor decidi levantar-me super cedo, e por super cedo quero dizer 5:50h. Ainda estava escuro, os pássaros ainda não tinha acordado, tudo quieto e silêncioso.

Após pequeno almoço fiz um pequeno aquecimento dinâmico e atirei-me à empreitada que tinha determinado no dia anterior.

Iria tentar fazer um 2 em 1: esticar a distância máxima percorrida para 12km e tentar melhorar o tempo aos 10km. Os 2 primeiros quilómetros seriam de aquecimento, porque geralmente o meu 1.ºkm é mesmo muito lento comparado com os restantes e prejudica o tempo final. Isso queria dizer que a conseguir terminar os 10km (após 2km de aquecimento), os kms 9 e 10, seriam na realidade os kms 11 e 12.

Comecei às 6:25h e dei uma volta à parte alta da vila, aguardando que o dia clareasse mais um pouco, para me dirigir para a parte baixa da terrinha, onde se localiza o percurso que costumo fazer nos treinos.

 

Sem parar e  quase  nos 2kms percorridos (1,82km), saco do smartphone que estava num dos bolsos do cinto de hidratação e entre desbloquear, guardar sessão e iniciar uma nova sessão, enquanto corria, foram percorridos alguns metros que não chegaram a ser contabilizados, mas eu não podia parar, não era esse o plano! Lá escutei o 5,4,3,2,1 da praxe...e pernas para que vos quero!

O sol ainda não se via no horizonte. O seu encontro com as paisagens da Lezíria Ribatejana, estava marcado somente para as 6:56h.

A respiração estava controlada, a zona lombar não dava sinal. O dia ia clareando, prometendo castigar-nos com calor, mas ainda não eram horas disso. Quando saí de casa a temperatura estava já nos 20ºC, num dia em que estavam previstas temperaturas de 43ºC para Santarém e 41ºC para a “santa” terrinha.

 

Para quem não conseguia correr com música (eu!), agora não dispenso música! Já não me desconcentra, já consigo monitorizar a minha respiração sem necessidade de a ouvir e como corro numa zona onde não há trânsito automóvel, vou mais descontraída.

Conheço bem o percurso, mas tinha começado o treino num local diferente e como as pernas já tinham 2km (aquecimento), fiquei baralhada com a contagem da distância. O corpo começou a emitir sinais de cansaço, mas segundo a minha percepção, ia no km 8 e picos dos 10km... Tive de consultar a aplicação...ia-me dando uma coisinha má, quando vi 7,2km  (eu na realidade estava já com 9,2k nas pernas dos 12k totais)!

Epá, fiquei perturbada! Sem ter visto o tempo que já levava na corrida pensei “que se lixe o tempo, aguenta-te até aos 8 e dá-te por contente”...mas eu não ia ficar contente. Não abrandei e fui numa luta titânica comigo - fisica e mental - até chegar ao km9...

Só faltava mais 1km...

Já corria com smartphone na mão, olho para o tempo e percebi que iria baixar o tempo anterior, não sabia por quanto, mas só precisava de me aguentar por mais uns minutos, baixei o ritmo, estava cansada, os últimos kms tinham sido um luta enorme (mentalmente) e foram feitos a um ritmo bastante elevado, não tendo ficado com reservas para o final.

A cerca de 400m do final, uma pontada na zona lombar, ainda me abrandou mais e depois... depois foi aguentar, já com a certeza que o tempo final tinha melhorado e que a distância máxima também tinha sido ampliada!

Esperei que os 10,00km aparecessem  na aplicação e parei, parei abruptamente (como as regras não mandam)! Ajoelhei-me no meio da ciclovia a tentar meter o máximo de ar possível nos pulmões, pois tinha perdido o controlo da respiração há 1km atrás. Lá me levantei, bebi a restante água (sim, bebi os 33cl todinhos!) e deixei o smartphone em cima de um banco, sem confirmar o tempo final, enquanto ensaiei um jogging de uns 100m. Ao regressar ao banco, consulto a aplicação que me mostrou o seguinte:

 

Tempo: 01:02:51           Distância : 10,00km          Ritmo médio: 6:17min/km

 

1.0 km

2.0 km

3.0 km

4.0 km

5.0 km

6.0 km

7.0 km

8.0 km

9.0 km

10.00 km

06:29 min/km

06:22 min/km

06:47 min/km

06:26 min/km

06:14 min/km

06:05 min/km

05:50 min/km

06:01 min/km

05:50 min/km

06:42 min/km

 

Recuperei um pouco, estabilizei a respiração e regressei a casa, em modo jogging, pelo que fiz mais 1,2km, mas que não contabilizo no total corrido sem interrupções!

 

Chegada a casa, alonguei com calma, hidratei, preparei a “sessão de crioterapia” e fui a banhos frios durante 15 minutos. Atenção, não me coloco dentro de uma tina cheia de gelo! Arrefeço água com gelo, mas não em quantidades industriais - o que é uma pena!

 

2017-08-20 08.21.55.jpg

                                                                      Água a refrescar com algum gelo.

                                                                               

Depois entrei em choque! Não, não foi choque térmico, foi mesmo em choque por causa do tempo alcançado. De tal modo que nem sabia o que dizer, ou escrever. Daí só ter escrito hoje, na esperança de que estas linhas me ajudassem a ter uma reacção mais efusiva...devo ter um delay qualquer!

 

Terminei os 10k com um tempo de 1:02:51, tendo retirado 2min e 53 seg ao melhor tempo anterior.

Olhando para os números...o ritmo é alucinante (para mim), o tempo é excelente e estou de parabéns!

Racionalmente sei disso, mas ainda não baixou em mim!

 Portanto se daqui a uns dias, vier para aqui expressar euforia e contentamento por causa do tempo que fiz ontem...façam o desconto, ok?

 

Agora, vou recuperar bem deste duplo treino e garanto que não é tão cedo que me ponho a fazer outro deste género!

 

Boas corridas!

 

 

 

14
Ago17

Treinos, praia, bolas de berlim e o longo de ontem!


Runner Wannabe

 

A última vez que aqui deixei umas palavras foi há 2 semanas. Desde então, corri em asfalto, fui à osteopata, fiz pequena pausa, fiz uns dias de praia, corri na areia, corri no asfalto em sobe-e-desce, comi bolas de berlim, regressei ao ribatejo e fiz ontem um treino longo!

 

Depois da semana do catano  seguiu-se uma semana calminha, com somente dois treinos.

 

Semana 1

O primeiro treino (3F), foi uma coisa ligeira, só para meter as pernas a mexer e tentar expulsar o cansaço...mas ele estava lá, e não queria sair! Bem que o tentei sacudir (no domingo anterior tinha feito pela 1.ª vez 11km, num ritmo muito interessante, para mim), mas as pernas pediam descanso e fiz-lhes a vontade, tendo parado o jogging ao fim de 3km.

 

Dois dias depois (5F) voltei a calçar as sapatilhas e desta vez, fiz um treino de 7km, num ritmo médio que achava não ser possível atingir por agora: 6:12 min/km!

Terminei a frase anterior com um mero ponto de exclamação para exprimir alguma excitação, mas garanto que fiquei doida, incrédula, expectante, contente, desconfiada ...e com vontade de dançar, saltar e coisas assim!  :)

 

 

No dia seguinte, 6F, rumei até à capital para ser observada por uma osteopata, devido a umas dormências que comecei a sentir, nas mãos e num pé. Veredicto: cervicais e bacia desalinhadas! Após uns estalinhos - em posições sobejamente engraçadas – algumas peças devem ter voltado ao local original, porque os sintomas começaram a diminuir de intensidade. As recomendações de não correr ou fazer esforços durante 3 dias, foram cumpridos na íntegra, pelo que não houve treino longo no Domingo passado, altura em que já me encontrava em terras algarvias para fazer uns dias de praia!

 

Semana 2

As dormências foram diminuindo de intensidade e duração e o embargo à corrida foi levantado na 3F (8 Agosto). Quem não se levantou a tempo e a horas de ir correr, fui eu! Acordei tarde e eram horas de rumar à praia, não para fazer jogging! Pensei em deixar o treino para o dia seguinte...assim descansava mais um dia...pois, está bem...assim que assentei arraiais no areal...vesti calção e lá fui eu, descalça, ao longo da linha de água!

Tão bom correr descalça, na areia! :)

Não quis exagerar na dose e fiz uma coisa curta: 3,3km a 6:39min/km. Soube bem, mas a pouco!

 

Foto meramente ilustrativa.

 

No dia seguinte (4F), não ia falhar uma corridinha bem cedo! Tinha visto um percurso que me pareceu interessante pelo google maps, mas sabem que mais...também não o segui!

 

Imaginem a cena: desertinhos para correr, equipados a rigor (mais ou menos), pré-aquecimento feito e agora na fase de escolha da música certa para abrir as hostilidades. Passa uma corredora, vinda não sei de onde, num ritmo que só alcanço lá para o km 4 ou 5. Bem, rapaziada...parecia que tinha ouvido o tiro de partida! Saí na sua peugada, mas cedo vi que não havia pedalada para aquela queniana! Decidi segui-la a uma distância razoável, pois pareceu conhecer a vizinhança, logo sabia quais os melhores percursos para correr...a subir e a descer...

Eu ia morrendo!

 

Não estou habituada a correr em modo sobe-e-desce...e contra o vento! Fiquei-me por um modesto percurso de 3,5km que fiz a 6:40min/km... e quando parei... parecia que me tinham despejado um balde de água pela cabeça abaixo. Para muitos, transpirar profusamente na cabeça e rosto é normal, para mim não! Há pessoas que só de estarem ao Sol, começam a exibir pequenos ribeiros de transpiração cuja nascente está na cabeça, comigo isso nunca acontece! Mas naquele dia aconteceu!

 assim...

 

Sad pela distância, happy pelo ritmo e a transpirar água que não sabia que tinha!

Uma pessoa nunca está contente...e isso pode ser bom...

 

Segundo pequeno almoço tomado e...praia comigo ainda a remoer aquele treino matinal!

Após o ritual de barrar o corpo com protector solar, resolvo ir até à linha de água, para ver como estava a temperatura da mesma, quando notei que os gémeos da perna esquerda estavam tensos. Corri em modo jogging ultra lento para sacudir aquela tensão...e depois continuei... e parei cerca de 26 minutos depois! Eh eh!

Não levei telemóvel, mas pela duração aproximada da corrida e pela contagem posterior da distância, deu qualquer coisa como 3,8km a 6:50min/km. Os gémeos não se queixaram e fiquei muito satisfeita com esta 2.ª sessão de treino!

 

Se na 5F descansei, na 6F cheguei à conclusão que treinos intervalados não são para mim!

 

Receita para o desastre:

1) estares na praia e achares que correr descalça na areia (molhada e compactada), é muito giro;

2) se não se trata de asfalto, o impacto é menor, logo as articulações estão mais protegidas..logo podes abusar;

3) as bolas de berlim, têm de ser “abatidas”

4) achares que o descontrolo crónico na tua percepção de velocidade...não é relevante...

 

Depois de 2km de aquecimento – em areia – marquei 100m e fiz 6x (100m rápidos + 100m de recuperação). Finalizei com 1,5km para recuperar.

 

Não vou colocar aqui os números...porque vão-me chamar doida insana! Adianto somente que se o treino intervalado fosse  6x(100m sprint + 100 rápidos)... embora padecendo do exagero melodramático, ainda assim estari mais próximo da realidade!

Pronto não se fala mais nisto! Assunto encerrado...por agora.

 

E depois veio o Sábado.

Tinha planeado descansar, até porque regressava para cima a meio da tarde, numa viagem sempre maçadora de 4h.

Acordei por volta das 6:30 e lembrei-me que me faltava visitar um sítio especial e que apesar de estar fechado às ditas horas....tinha de lá ir! Se fosse a caminhar seria apertado em termos de tempo, pois ainda tinha de arrumar o saco, despejar frigorífico e arrumar um monte de coisas, antes de ir para a praia (sim, aproveitar até dar!). Então tive uma ideia, que na altura pareceu excelente! Saltei da cama, tomei mini pequeno almoço e calcei as sapatilhas...e fui a correr! Foram 4km de sobe-e-desce, fora do programa, a uma média de 7:15min/km...e eu que devia estar a descansar para o longo de Domingo (ontem)! Pois...

Depois de meio dia na praia, regressei ao Ribatejo. Cheguei com as pernas tensas de 4 horas de viagem e comecei a ver o treino longo de Domingo, num universo paralelo e, para a ajudar à festa, deitei-me demasiado tarde!

 

Antecipei que a coisa iria invariavelmente dar para o torto...

 

Domingo dia de treino longo, acordei 15 minutos antes da hora (6:45).

Sentei-me na cama para perceber como estava o corpo. Parecia estar tudo normal.

Vesti o equipamento, alonguei um pouco e saí para o local de treino, em modo jogging/aquecimento, onde planeava lançar-me a um treino de 10km, mas que se corresse bem até poderia ampliar a distância. Sabia que estava cansada, que havia também a possibilidade de não ir aos 10k e/ou concluir com o ritmo médio modesto (até mesmo para mim)!

Pensei em fazer um treino progressivo. Começar lento e ir progressivamente fazendo ritmos mais rápidos de modo a que a 2.ª parte da corrida fosse mais rápida que a primeira, mas com ritmos mais certinhos e não tão descompassados como os meus. Mas estas eram as linhas gerais, na hora H, preferi esta receita: “vou fazer o melhor que consigo, consoante o que for sentindo” e ao som da minha playlist!

O treino correu muito bem, apesar do km 2 ter sido francamente mais lento. Mais tarde, uma dorzinha na anca entre o km 6 e 7 fez-me abrandar novamente, dor que acabou por desaparecer, altura essa em que aproveitei para dar um bocadinho de gás, para compensar os kms mais lentos.

 

 

Km

Ritmo (min/km)

1

06:38

2

07:25

3

06:13

4

06:53

5

06:51

6

06:29

7

07:02

8

06:16

9

06:10

10

05:40

Ritmo médio:

6:34min/km


Apesar de nos primeiros quilómetros não me ter sentido muscularmente muito disponível, lá fui gerindo a corrida como pude. A partir do km 7...sei lá o que me deu, o que sei é que me sentia concentrada, sem pressão e a fazer o melhor que conseguia! Cheguei a comentar com um amigo, que durante a corrida era como se a minha mente estivesse no quarto ao lado do quarto, onde a lamechice, a falta de confiança e o medo costumavam fazer uma festa! Não sei explicar melhor, foi isto que senti! Senti a mente blindada e à prova de bullshit!

 

Terminei o treino com o tempo final de 1:05:44, retirando 2min e 8seg ao anterior tempo aos 10k! :)

Fiquei super contente por ter feito um tempo melhor, que acaba por valorizar ainda mais, tendo em conta que não descansei nos dois dias anteriores, como faço com qualquer treino longo!

Como as minhas reacções passam por todo o espectro do 8 ao 80...

 

O 8...

e...

 

...o 80...

 

Pronto, mas já passou. Já estou focada nesta semana! 

Dado que na semana 2 fiz 4 treinos – acho que nunca tinha feito 4 treinos semanais – vou descansar um bocadinho mais e o treino da próxima 3F (madrugada), vai ser coisinha leve. O suficiente para aquecer para posterior sessão de reforço e flexibilidade, só para evitar chatices e monitorizar a anca, até porque a bacia estava desalinhada, andei a correr em modo sobe-e-desce...sem esquecer que corri descalça na praia  - que é terreno sempre desnivelado!

Aguardemos!

 

Boas corridas a todos!

 

PS - quanto às bolas de berlim? Normais ou de alfarroba...mas sempre, sempre com creme! Uma por dia (420 calorias) porque tive de prometer a mim mesma, que este ano não haveriam sessões duplas!

Prometido, mas dificilmente cumprido!

 

2017-08-08 11.40.45.jpg

Bola de berlim de alfarroba, entupida de creme!

 

 

30
Jul17

Semana do catano!


Runner Wannabe

No treino de 3.ªF, pensei em fazer uma coisinha leve para descomprimir do treino anterior, que foi mais rápido que o habitual.

Sabem aqueles dias em que fazemos tudo ao contrário do planeado, como se forças superiores baixassem em nós e nos obrigassem a cumprir um qualquer desígnio? Pronto...foi isso!

Então não é que acabei por fazer uma espécie de treino intervalado, que vi algures!

 

Treino intervalado tal como proposto:

- 20' ritmo lento;

- 5x 2' ritmo rápido seguido de 3' pausa activa;

- 20' de ritmo lento.

 

“Em cima do joelho”. decidi fazer uma versão aldrabada do referido treino intervalado.

Eis o resultado:

 

15' a ritmo lento (7:01min/km);

3x 2' ritmo rápido seguido de 3' pausa activa;

10' ritmo lento (6:54min/km).

 

Como não tenho muita noção dos ritmos, é excusado dizer que ritmo rápido...é aquilo que o meu cérebro acha que é...rápido! Efectivamente rápido e sprint apesar de palavras diferentes, depois na práctica...é quase tudo o mesmo, não é...? Pois...ia-me matando logo de início! Não fossem haver 3 minutinhos logo de seguida para recuperar...não sei se o treino não acabaria ali!

Recuperei e lá fiz mais dois ciclos “daquilo”, arrumei a trouxa e rumei a casa em ritmo lento, para  ressuscitar “arrefecer”.

O aspecto positivo deste treino? Sobrevivi para contar a história!

 

O treino de 5F

 

Este treino, foi uma coisa do outro mundo! O resumo resumido é o seguinte: 6,6km a ritmo médio de 6:18min/km.

Por outras palavras, atingi velocidades supersónicas – para mim.

 

Eu, no treino de 5.ªF.

 

 

Não tenho justificação, não sei o que aconteceu! Cheguei fresquinha que nem uma alface e quando no final vi os dados, ia-me dando uma coisa!

Andei a "mastigar" estes dados durante dois dias e atazanei a cabeça a duas ou três pessoas. Custava-me acreditar...agora já estou mais mentalizada! :)

 

Treino longo de Domingo

 

Convenhamos que desde Domingo passado, os treinos correram bem, apesar de eu desconfiar sempre de coisas muito boas - ao ponto de chegar a pensar que a aplicação estava a dar resultados demasiado optimistas!

Depois do treino de 5F, pensei na possibilidade de esticar a distância, num percurso novo de 13km (ida e volta). O objetivo era aumentar a distância, sem qualquer preocupação de tempos finais, ritmos ou velocidades!

 

E não, não conclui os 13km! Antecipei em cerca de 1km o ponto de viragem e regressei a casa.

Porquê? Porque na altura achei que se seguisse o plano inicial, provavelmente faria o último km a caminhar. Mas isso, é que nem pensar!

Senti-me insegura nalguns segmentos do percurso. Tive de lidar com duas subidas (e descidas) a uma ponte com 800m de comprimento, em que a passagem para peões tem cerca de 1m de largura e o piso são placas de ferro mal fixadas e que estavam molhadas pela humidade matinal. Mas mais chato - e perigoso – foi um segmento de talvez 500m (que tive de percorrer 2 vezes), em que o asfalto está muito irregular e esburacado nas bermas, devido à passagem de máquinas agrícolas. Pronto, isto para dizer que não andei propriamente em estrada lisa e plana ou ciclovia – como é costume – e que estes pormenores obrigaram-me a esforçar mais que o habitual.

Cheguei a casa em esforço...

As pernas estavam a ficar pesadas...

Não tinha feito o planeado...

Não estava satisfeita...

 

Abri a aplicação e bati com os olhos nos 11km... Já não me apeteceu ver mais nada! Amuei!

Antecipando no dia anterior, que iria dar o litro e mais uma pinga, preparei vários sacos com água que deixei a congelar para poder “demolhar”  hoje as pernas em água bem gelada, numa sessão improvisada de crioterapia.(Já disse em ocasião anterior que tenho uma hortinha – biológica - e uso bidons de muitos litros como reservatórios de água, que vem dum poço, para proceder às regas.)

Enchi um bidon e juntei cerca de 5L de gelo. Aguardei e demolhei durante 10 minutos! Bem bom, é o que vos digo!

 

2017-07-30 08.08.57.jpg

Ainda dá para ver algum gelo.

 

Terminada a sessão e ainda de birra por não ter cumprido com o planeado, lá me digno a ver os restantes dados da aplicação, mentalizada para o descalabro total!

Olhei várias vezes para os números, incrédula! Então não é que os 11km foram feitos em 1:13.41, a um ritmo médio de 6:40min/km?

Multidão, só não saltei frenéticamente - ou ligeiramente - porque as pernas estavam geladas, literalmente!

 

E como isto ficou fora de questão...(oh, eu sei!)

 

 

tive de me contentar com isto! 

 

 Resumindo:

 

Domingo passado: 8,06km a 6:45min/km;

3.ªF - sobrevivi a um treino intervalado completamente aldrabado!

5F – 6,6km a 6:18min/km;

Hoje – 11km a 6:40 min/km.

 

Foi uma excelente semana de treinos! Estou oficialmente contente! 

 

Thank´s Meryl, love you too!

 

 Boas corridas!

 

24
Jul17

Uma pausa merecida!


Runner Wannabe

 

Depois de ter sentido uma "comichãozinha", alertando-me para um eventual excesso de carga, comecei a pensar em fazer uma pausa para descansar.  Acolhi tão bem a ideia, que fiquei espantada comigo mesma!

 

Decidi fazer uma espécie de férias! E se dúvidas haviam, o empurrãozinho final foi dado pelos registos dos últimos tempos:

Maio -  23,30 km (em 3 semanas e lesionada)

Junho - 67,5 km

Julho - 42,5 (nas duas primeiras semanas...)

 

Como se pode ver, foi sempre a aumentar a carga! E com o aumento de forma, começaram a aparecer ritmos um pouco mais rápidos (vá...não muito rápidos...eu sei!)  e as distâncias também começaram a esticar e assim sucessivamente!

Sim, férias, definitivamente! Não só achei mercê-las, como achei que me faria bem descansar fisicamente!

 

Como antecipado na última publicação, reduzi o treino de Domingo (dia 16), que passou de longo a um médio de 5,5km num ritmo lapa de 7:28min/km! Sai um especial agradecimento para a Dona Insónia, que só me deixou dormir 3 horas na noite anterior, e para o pequeno almoço vestigial, de tão enjoada que fiquei, por não ter dormido o suficiente!

Não ir correr também nunca foi hipótese!

Penei...nas fi-lo! E este foi o último treino antes das "férias"!

 

Férias...será que uma semana se qualifica como férias, nestas coisas da corrida?

Pois não sei, mas foi esse o tempo de "paragem"!

Na realidade não parei, reduzi a carga para um total de 8km, mas em abono da manutenção da forma física, fiz duas sessões de reforço muscular e duas de flexibilidade -  que estou a ficar velhota e preciso de articulações oleadas!

 

Primeiro treino após "férias" 

 

Domingo, 23 de Julho

O despertador bem que tocou às 6:15h...mas sentia-me demasiado cansada para acordar!

Virei-me para o outro lado e ferrei-me ainda mais a dormir. Quando volto a acordar – quase em pânico - pensava que a manhã ia a meio,  mas não, eram quase 8:00h (ufa)! Já era tarde para correr - segundo os meus hábitos - mas a manhã ainda era uma criança para os não-corredores e não-ciclistas e não-adeptos-de-pesca e não me lembro de mais ninguém!

 

Apesar do atraso, o corpo não me pedia grandes pressas para fazer o quer que fosse! Arrastei-me em passo caracol, de um lado para o outro, até perceber qual era o meu propósito, naquela névoa que por vezes é a minha existência, pela manhã.

Alonguei.

Saí sem expectativas.

Sem ritmos pré -definidos.

Sem distância pensada.

Sem plano, rascunho ou esquisso de treino.

 

A única coisa que me preocupava marginalmente, era o calor que sabia que iria sentir. É que costumo correr cedo...tipo 6:30, quando está fresquinho, mas desta vez arranquei por volta das 8:30! Passados 15 minutos já estava com a roupa colada ao corpo...não gostei nada da sensação, logo tão no início da corrida.Pelo menos acordei! E quem me veio visitar? A Dona Censura entrou em acção, e vertendo bolhinhas de ironia e sarcasmo, deixou-me esta pérola...deves estar a pensar que vão-se organizar provas de estrada às 6:30 da matina, para a “princesa” não ter calor!!!

Olha não tenho paciência para te aturar!!! – respondi  - e deixei a Dona Censura a borbulhar azedume, na primeira curva que encontrei!

Liguei o MP3 jurássico e deixei-me rolar! Primeiro devagar – mais especificamente 7:42min/km no 1.ºkm...sim consigo ser that much lenta! – depois percebi que estava mais rápida, mas a minha preocupação foi em gerir o esforço e ir prolongando o treino, até achar que estaria na hora de parar (tudo muito científico!).

O calor foi aumentando, como seria de esperar, mas nem por isso senti mais sede, apesar de estar a transpirar muito mais! Mas lá bebi os 125ml, que levei comigo, yey!!!

Do que senti mesmo falta, foi de despejar água no pescoço e ombros – sabe sempre tão bem! - mas 125ml não dão para tudo! :D

 

Cifras

 

Foram corridos 8,06km (número "redondo"! ), em 54:27, a um ritmo médio de 6:45min/km.

Olhem, não achei nada mau, até porque: ia super-relaxada;  com zero expectativas; consegui gerir-me sob temperaturas mais elevadas; não me desconcentrei com as pragas que roguei ao vento (odeio correr com vento); senti o ritmo sempre confortável; e por último... o organismo respondeu à altura e sem sinais de "comichões"!

 Maravilha!!!

 

Pronto e é isto!

Parei uns dias,descansei, recomecei e correu bem -  este encetar não muito declarado - de um objectivo que ainda não consigo admitir, assim às boas, mas que dentro de semanas espero já estar mais segura para partilhar com a multidão! :)

 

Boas corridas!

 

 

 

14
Jul17

Comichãozinha


Runner Wannabe

Treino de ontem

 

Não meti os pés na ciclovia – ando um bocado farta daquilo!

Gizei de véspera um trajecto de  6,8km, pouco ou nada monótono (comparado com a ciclovia), com descidas e subidas não muito acentuadas, às quais corpo & alma responderam em uníssolo!

Fiz aquilo que a malta entendida nestas coisas, chama  de corrida de “trás para a frente”, apenas com quebra entre o km 5 e 5,5 - tratou-se de um segmento com 3 "lombas" consecutivas, onde acabei por abrandar consideravelmente!

Como de costume, os primeiros quilómetros são sempre os mais lentos, mas lá fui gerindo as informações que o corpo me ia dando e acho que desta vez fiz um bom trabalho! 

 

 

 

Aqui estão algumas cifras do treino.

 

5F – 13/07/2017

Km

Ritmo

1

06:58

2

06:55

3

06:49

4

06:33

5

06:26

6

06:41 (lombas!)

6,8

06:08

Ritmo médio: 6:39min/km

 

 

Uma novidade. 

Usei pela primeira vez um cinto de hidratação - já que não ia passar pelo mesmo sítio, vezes sem conta! O referido acessório tem uma pequena bolsa, uma "cartucheira" para os saquinhos de gel e um compartimento para um bidon com capacidade para 0,5L.

Fora de questão - por agora - andar com 0,5L às costas! Que fiz eu então? Basicamente meti em práctica as minhas skills de fada do lar (costureira) e "estrangulei" o espaço do bidon, para ajustar garrafas de 125ml a 250ml, para que não saltassem no -  e do - compartimento! O estrangulamento foi um sucesso!

Acabei por levar uma garrafa de 125ml, que regressou meia para casa! Já tinha dito que não bebo muito água durante a corrida? Onde gasto água - se a tiver - é a refrescar-me. De outro modo, se levar um bidon de 0,5L, bebo 75ml e tomo banho com o resto!

E como me adaptei ao peso e à sensação de ter uma coisa agarrada a mim? 

Passados 100m já não o sentia! Maravilha! :)

 

Nota: naturalmente bebo pouca água, mas desde que recomecei a correr tenho tido mais cuidado. A minha hidratação diária foi reforçada, com especial destaque para o dia anterior ao treino. Nos dias que corro, sinto mais sede - e fome - que o habitual, acabando por beber mais água, pois claro! Portanto...seja porque vá correr ou porque já corri, agora hidrato-me muito melhor! Obrigado corrida!

 

Portanto foi um bom treino - que me deixou bem mais contente que o de Domingo, e experimentei o cinto de hidratação, experiência que correu melhor do que esperado!

Só boas notícias? Não há nada para chatear?

 

Claro que há!

 

Quando arrefeci da corrida.... comecei a sentir uma "comichãozinha" na parte interna do tornozelo esquerdo. Suspeitei que o meu músculo manhoso (tibial posterior), estivesse tenso e por via das dúvidas, fui bisbilhotar. E como suspeitei que o problema estava no músculo? "Dois meses a virar frangos"!

 

Que encontrou ela (eu), afinal ?

Encontrei um ponto de tensão ligeiramente doloroso após compressão, aka um-nó-que-se-está-a-formar-e-tem-de-ser-desfeito-antes-que-"reproduza"! Apliquei logo uma primeira dose de massagens, sobejamente familiares, e entre ontem e hoje, mais duas doses. Parece que a coisa está a entrar nos eixos! :)

Está visto que não posso baixar a guarda!

 

Mas afinal o que poderá ter acontecido?

Exagerei na carga?

 - Talvez.

O ritmo foi demasiado puxado?

 - Não achei, pulmão acomodou bem, músculos também e ainda fiquei com bastante energia nos "tanques"!

O trajecto foi mais desafiador?

 - Isso foi, mas nada que me fizesse cuspir um pulmão!

 

Mas aconteceu alguma coisa de diferente do habitual?

 - Ah, pois aconteceu!

 

Aqui o je, consultou de véspera o site do IPMA, cujas previsões apontavam para uma temperatura máxima de 40ºC, para o dia seguinte! Pela experiência que tenho, nesses dias começa a aquecer muito cedo, portanto se queria escapar a algum calor tinha de levantar mais cedo...

Ainda não sei bem como me arranjei, mas atrasei-me imenso e para não perder mais tempo, que fiz? Achei que prescindir do aquecimento - que faço religiosamente antes de qualquer corrida (5'-7' de jogging +10' de alongamentos),  - era uma ideia razoável!!!

 

Se isto não era um calduço bem aplicado...ou dois!!!

 

           

Não consigo determinar, se este foi o factor que mais contribuiu para a "comichãozinha" no tornozelo e o ponto de tensão no músculo...mas suspeito que terá contribuído!

 

Ok, mais uma evidência para não abrir excepções aos aquecimentos!

 

Pelo andamento da carruagem não me parece que haja necessidade de cancelar treino de Domingo, mas reduzir a categoria de longo para médio, é uma possibilidade.

Mas devo dizer, que não estou sequer stressada! (e isto também é uma novidade....ou será habituação?)

 

Boas corridas!

 

 

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D