Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Runner Wannabe

Corredora amadora à beira dos 40, que aspira um dia começar e terminar um trail: a respirar, a conseguir proferir palavras do tipo “ajudem-me” e “água” ... e em controlo das suas funções biológicas básicas.

Runner Wannabe

Corredora amadora à beira dos 40, que aspira um dia começar e terminar um trail: a respirar, a conseguir proferir palavras do tipo “ajudem-me” e “água” ... e em controlo das suas funções biológicas básicas.

13
Dez16

Evolução da minha ITB: bola!


Runner Wannabe

As expectativas eram positivas e pelo que percebi, deviam ser proporcionais ao ânimo com que acordei! Lá fora, nevoeiro e frio com fartura. Se isso desmanchou o ânimo? Nem 1milímetro, aliás fui procurar o gorro para não ficar com o cabelo molhado e para impedir que as orelhas gelassem.

 

Pedalei até ao local de treino escolhido, antecipando que devia estar submerso num espesso nevoeiro. Et voilá, nem mais! É que nem me atrevi a entrar naquelas brumas, em 20 ou 30 metros ficaria invisível...e neste caso em específico, não é seguro...ainda me aparecia o D. Sebastião no seu cavalo a alta velocidade e me passava por cima – apesar das minha indumentária sempre tão cheia de cor...mas sem luzes de nevoeiro! Voltei para trás, sob pretexto de beber um cafézinho quente, mas na realidade estava à espera que o nevoeiro levantasse um pouco. Esperei 20 minutos e...o nevoeiro fazia finca pé, finca mão, todo ele um teimoso....e claro, desisti de esperar. Dirigi-me ao local de treino n.º 2, aqueci, rezei aos santinhos e inicio a corrida na rodinha de hamster – circuito que nem sequer é circular mas que é pequeno e tenho de o repetir algumas vezes. As pernas pediam velocidade e não fosse a aplicação a dizer-me a velocidade média, teria-me deixado ir. Trata-se de um teste a que chamo de avaliação. Mantive os misericordiosos 7,5km/hora, por todos os motivos e mais alguns, mas o único que importava, era não esforçar demasiado o joelho e dar-lhe margem de manobra para aguentar o máximo que pudesse. Encurtando o relato para não dar tempo de ser assolada pela pieguice (tamanho XXL), tive de parar aos 3km, tal como na avaliação anterior, 5 dias antes.

 

Estou a engolir o sapo e não me restam muitas mais alternativas senão, prolongar o tempo entre avaliações (para o dobro – 10 dias), diminuir as cargas que faço, mesmo que não impliquem impacto, manter os alongamentos, esperar na incerteza se está a resultar  e gerir o melhor possível a psiqué.

 

Se alguém tiver algum contributo ou sugestão, partilhe!

 

3 comentários

Comentar post

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D