Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Runner Wannabe

Corredora amadora à beira dos 40, que aspira um dia começar e terminar um trail: a respirar, a conseguir proferir palavras do tipo “ajudem-me” e “água” ... e em controlo das suas funções biológicas básicas.

Runner Wannabe

Corredora amadora à beira dos 40, que aspira um dia começar e terminar um trail: a respirar, a conseguir proferir palavras do tipo “ajudem-me” e “água” ... e em controlo das suas funções biológicas básicas.

02
Jul17

Resumo


Runner Wannabe

 

No Domingo passado completei 8,5km. Durante todo o percurso o corpo pediu para parar, mas a cabeça teimou no contrário. Arrastei-me por teimosia, por desafio...já não sei!

 

E no dia seguinte? Ui, ui! No dia seguinte, mais cansaço, com  a pressão arterial baixíssima e com a sensação que morava num corpo estranho, sensação esta que foi desaparecendo ao longo do dia - felizmente - porque estava a ser mesmo muuuuito estranho.

Cansaço acumulado, conclui! 

 

O treino de 3ª.F – que se pretendia ser de recuperação – foi curto e lento, mas nem por isso de recuperação! Foram 4km no total, mas com uma primeira metade cunhada por notórias dificuldades em controlar a respiração. Sentia-me cansada, pesada e ofegante - que trio! Depois lá consegui encontrar o ritmo que me deixou respirar com alguma eficiência, o que me permitiu terminar o treino, com um pequeno resíduo de brio atlético!

 

Com a 5ª.F veio o treino “rápido” da semana (curto e rápido).

Sentia que tinha recuperado energia, mas não sabia como estavam os "tanques".

O objectivo era simples, 4km a um ritmo mais puxadinho, simples não é? Pois, mas nada feito! Aos 3km tive de travar a fundo, para não perturbar uma matilha de cães, ok...eram só 3, mas eram grandes, sem dono à vista e que podiam facilmente decidir vir no meu encalço! Quebrei o melhor de todos os ritmos alcançados e fui obrigada a caminhar calmamente, durante uns 40m, até dobrar uma curva e sair do raio de visão dos bichos! Bem que retomei a corrida, mas o meu corpo não estava a seguir as ordens de comando, ou incentivo, não estava a reagir. Parei aos 3,4km, feitos a 6:10/km (gaita, estava a voar!), acalmei a auto-censura e acabei por fazer mais 2km a 7:10min/km, porque estava fora de questão ir para casa  só com 3,4km no bolso!

O que seria um treino rápido e curto, acabou por se transformar num treino curto mas “misto”. Voei, travei a fundo, tentei embalar e acabei quase em modo jogging (para mim!).

 

No final de 5ª.F fui acometida por uma tensão um tanto ou quanto impeditiva, na região lombar - vulgo cruzes - que piorou no dia seguinte. O treino agravou uma pequena tensão que não considerei ser algo que pudesse evoluir para uma rigidez que me impedia de fazer coisas tão simples como chegar com a ponta dos dedos das mãos, aos dedos dos pés...ficava-me aí pelo joelho...mais coisa, menos coisa! Por entre "quente", alongamentos e resguardo nalgumas tarefas, lá acelerei o processo de recuperação e no final de sábado já tinha a certeza que podia fazer o treino no Domingo (hoje). 

 

E eis que chegou Domingo e o respectivo treino longo.

Costas recuperadas, energia acumulada, músculos descansados e pequeno almoço ligeiramente reforçado para o que desse e viesse. E veio...mas não o que estava à espera!

Não comecei o treino assumindo que ía chegar aos 10km, mas geri a corrida de forma a estar em condições de ultrapassar essa distância.  Por volta dos 8,5km sentia-me bem, com energia e pulmão para dar mais uma volta ao circuito, o que resultaria num percurso total de 11,8K. Um par de minutos depois de ter decidido dar essa volta extra, começo a sentir um pequeno incómodo na parte externa do joelho direito...O fantasma da ITB accionou tudo o que eram luzes vermelhas no meu painel de controlo! Parei aos 9k para me resguardar, mesmo sem saber se aquela sensação era mesmo um sinal da ITB. Para ter a certeza, teria de continuar a correr e isso seria forçar uma possível inflamação.  Been there, done that e o resultado foi péssimo!

Como ainda tinha energia, o final da sessão consistiu numa valente tareia aka reforço muscular e exercícios de flexibilidade! Caneco, até fiquei com um andar novo!

 

Quando à tensão no joelho...espero que tenha sido provocada por alguma fadiga muscular, mas por via das dúvidas...  abrandamento, reforço muscular e exercícios de flexibilidade para cima dela!

 

Agora é esperar para ver...

 

Boas corridas!

 

 

 

 

 

23
Dez16

Tripinha bipolar, sapatinho novo e boas festas!


Runner Wannabe

 

Deixei de me preocupar com a ITB e a razão foi – está a ser – a seguinte: sintomas de inflamação do apêndice. É verdade, a minha tripinha resolveu rebelar-se e está-se a queixar há alguns dias num carpir, que não sendo de me atirar ao tapete ou fazer subir paredes, dá sinal do seu humor bipolar. Já me encontro melhor, mas nada que me faça hipotetizar adiantar trabalho para a ITB. Nada como sintomas de apêndice mal humorado para reordenar o Top 2 no Departamento das Maleitas!

 

Para alegrar a época natalícia (a sério), foi colocado no meu sapatinho, um par de outros sapatinhos mais adequados à corrida – trail para ser mais específica. De modo meio tímido vou mirando os ditos chanatos, num ritual infantil mas muito genuíno, que vai insuflando ainda mais a vontade de subir e descer coisas, a correr e a andar. A surpresa foi para lá de agradável e veio de pessoa insuspeita, o que torna tudo ainda mais especial! Como é óbvio, já as coloquei nos pés, mas só depois de alguns quilómetros valentes com elas é que vou poder dizer como está a correr a adaptação - nessa altura falarei do modelo em questão, coisa que não tem data marcada para acontecer, mas que algo me diz que já não vai ser em 2016 :(.

 

Desejo-vos um Feliz Natal, cheio de saúde, paz, amor e óbviamente boas corridas!

 

 

 

 

13
Dez16

Evolução da minha ITB: bola!


Runner Wannabe

As expectativas eram positivas e pelo que percebi, deviam ser proporcionais ao ânimo com que acordei! Lá fora, nevoeiro e frio com fartura. Se isso desmanchou o ânimo? Nem 1milímetro, aliás fui procurar o gorro para não ficar com o cabelo molhado e para impedir que as orelhas gelassem.

 

Pedalei até ao local de treino escolhido, antecipando que devia estar submerso num espesso nevoeiro. Et voilá, nem mais! É que nem me atrevi a entrar naquelas brumas, em 20 ou 30 metros ficaria invisível...e neste caso em específico, não é seguro...ainda me aparecia o D. Sebastião no seu cavalo a alta velocidade e me passava por cima – apesar das minha indumentária sempre tão cheia de cor...mas sem luzes de nevoeiro! Voltei para trás, sob pretexto de beber um cafézinho quente, mas na realidade estava à espera que o nevoeiro levantasse um pouco. Esperei 20 minutos e...o nevoeiro fazia finca pé, finca mão, todo ele um teimoso....e claro, desisti de esperar. Dirigi-me ao local de treino n.º 2, aqueci, rezei aos santinhos e inicio a corrida na rodinha de hamster – circuito que nem sequer é circular mas que é pequeno e tenho de o repetir algumas vezes. As pernas pediam velocidade e não fosse a aplicação a dizer-me a velocidade média, teria-me deixado ir. Trata-se de um teste a que chamo de avaliação. Mantive os misericordiosos 7,5km/hora, por todos os motivos e mais alguns, mas o único que importava, era não esforçar demasiado o joelho e dar-lhe margem de manobra para aguentar o máximo que pudesse. Encurtando o relato para não dar tempo de ser assolada pela pieguice (tamanho XXL), tive de parar aos 3km, tal como na avaliação anterior, 5 dias antes.

 

Estou a engolir o sapo e não me restam muitas mais alternativas senão, prolongar o tempo entre avaliações (para o dobro – 10 dias), diminuir as cargas que faço, mesmo que não impliquem impacto, manter os alongamentos, esperar na incerteza se está a resultar  e gerir o melhor possível a psiqué.

 

Se alguém tiver algum contributo ou sugestão, partilhe!

 

Mais sobre mim

foto do autor

Sigam-me

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D